Verduras de que menos gostamos melhoram a saúde dos vasos sanguíneos | TVSHOPSHOW.com Televisão via Internet

Algumas das verduras que menos gostamos, como os brócolos e as couves, melhoram a saúde dos vasos sanguíneos, sugere uma nova investigação levada a cabo por cientistas da Edith Cowan University, na Austrália.   O estudo, cujos resultados foram esta sem...

legumes, alimentos, rotulo, embalagem, industrializados, biscoitos, sal, doces, sódio, açúcar, ultra, processados, embutidos

Verduras de que menos gostamos melhoram a saúde dos vasos sanguíneos

Publicado por: Redação
30/08/2020 01:29 PM
Courtesy Pixabay
Courtesy Pixabay

Algumas das verduras que menos gostamos, como os brócolos e as couves, melhoram a saúde dos vasos sanguíneos, sugere uma nova investigação levada a cabo por cientistas da Edith Cowan University, na Austrália.

 

O estudo, cujos resultados foram esta semana publicados na revista científica British Journal of Nutrition, demonstrou que este tipo de vegetais pode ser o mais benéfico na prevenção de doenças avançadas nos vasos sanguíneos.

 

Os cientistas concluíram que o maior consumo de vegetais crucíferos, como brócolos, couve de Bruxelas e repolho, está associado a doenças menos extensas dos vasos sanguíneos em mulheres mais velhas, escreve a agência espanhola Europa Press.

 

Recorrendo a dados de um grupo de 684 mulheres mais velhas da Austrália Ocidental recrutadas para o estudo em 1998, a equipa descobriu que as participantes que tinham uma dieta que incluía mais vegetais crucíferos tinham menos probabilidade de ter uma grande acumulação de cálcio na aorta (a maior artéria de todo o sistema circulatório), um marcador-chave da doença que atinge os vasos sanguíneos.

 

A doença dos vasos sanguíneo é uma condição que afeta os vasos sanguíneos – artérias e veias – e pode reduzir o fluxo de sangue pelo corpo.

 

Esta redução de fluxo pode dever-se à acumulação de depósitos de gordura e cálcio nas paredes internas dos vasos sanguíneos, como a aorta. Esta acumulação é a principal causa da maioria dos ataques cardíacos e/ou derrames.

 

“Nos nosso estudos anteriores, identificamos que aqueles que comiam mais vegetais tinham um risco menor de vir a ter doenças cardiovasculares (…) mas não tínhamos a certeza do motivo pelo qual isto acontecia. As nossas descobertas neste novo estudo fornecem uma visão dos potenciais mecanismos envolvidos“, explicou o líder do estudo, Lauren Blekkenhorst, citado pela mesma agência.

 

E sintetizou: “Descobrimos agora que as mulheres mais velhas que consomem maiores quantidades de vegetais crucíferos por dia têm menos probabilidades de sofrer de uma calcificação extensa da artéria aorta”.

 

Vitamina K em abundância

Europa Press frisa que a vitamina K é um dos componentes específicos encontrados em abundância neste tipo de vegetais, podendo este composto ter um papel na inibição do processo de calcificação que ocorre nos vasos sanguíneos.

 

As participantes que comeram mais de 45 gramas de vegetais crucíferos por dia tiveram 46% menos probabilidade de ter uma grande acumulação de cálcio na aorta, comparativamente com as que comeram poucos ou nenhuns.

 

“Isto não quer dizer que os únicos vegetais que devemos comer são os brócolos, os repolhos e as couves de Bruxelas. Devemos comer uma grande variedade de vegetais diariamente em prol de uma boa saúde do bem-estar geral”, rematou a investigadora.

 

Fonte: Planeta ZAP //

Imagens de notícias

Tags:

Compartilhar

Comentários