Requerida diligência no Polo de Confecção de Rosário no Maranhão | TVSHOPSHOW.com Para Smart TV PC e Mobiles

Na tarde de hoje (27/5), o deputado federal Domingos Dutra deu entrada em requerimento que solicita à Comissão de Fiscalização Financeira e Controle uma diligência externa no Polo de confecções de Rosário, no Maranhão, para verificar os cemitérios.

polo, confecção, rosario, maranhão, desvios, fraude

Requerida diligência no Polo de Confecção de Rosário no Maranhão

Publicado por: Redação
28/05/2014 09:54 PM

Na tarde de hoje (27/5), o deputado federal Domingos Dutra deu entrada em requerimento que solicita à Comissão de Fiscalização Financeira e Controle uma diligência externa no Polo de confecções de Rosário, no Maranhão, para verificar os cemitérios de obras inacabadas e dos distritos de irrigação nos municípios de Palmeirândia, Magalhães de Almeida e São Mateus.


Em 1994, Roseana Sarney, Governadora do Estado do Maranhão, inaugurou o Polo de Confecção prometendo criar 10 mil empregos diretos e exportar roupas para todo o mundo.



Após 20 anos, R$ 300 milhões foram desviados do Banco do Nordeste, 3.600 famílias estão endividadas e o local aonde seria o polo de confecção se transformou em um cemitério composto por prédios deteriorados no meio do mato, onde centenas de máquinas estão apodrecendo em galpões e nenhum metro de roupa foi produzido. Mesmo com todos os indícios de corrupção, não se tem notícias de nenhuma punição aos responsáveis.



“Apesar de o Maranhão segurar sempre como o Estado mais pobre do Brasil, verificamos a existência de verdadeiros cemitérios de obras inacabadas que consumiram milhões de reais que deveriam ter sido aplicados corretamente para gerar renda e emprego para nossa gente. Este é um dos motivos da pobreza extrema da maioria dos maranhenses e da riqueza abundante de uma minoria que há 48 anos desgoverna o Maranhão”, explanou o deputado.



O deputado pede a fiscalização também em três perímetros de irrigação existentes no Estado com quase 20 mil hectares, que apesar do investimento de milhões de reais, se transformaram também em cemitérios de equipamentos e obras deterioradas.



O primeiro é o Distrito de Irrigação da Baixada Ocidental Maranhense (DIBOM), no município de Palmeirândia, totalmente destruído, com maquinários abandonados e com os canais de irrigação deteriorados. O segundo é o Distrito de Irrigação Hidroagrícola São Bernardo, no município de Magalhães de Almeida, também abandonado.



O terceiro é o Projeto Salangô, em São Mateus, onde o derrame de dinheiro público foi escandaloso, expresso em mais de R$ 66 milões.


Domingos Dutra espera que sejam tomadas providências capazes de recuperar os projetos, dimensionar os danos causados ao erário público e identificar os responsáveis.


Vídeos relacionados
Comentários