Após declarações bestiais de Lula, a Ucrânia o convidou para uma visita

Publicado por: Redação
16/04/2023 08:21 PM
Exibições: 36
Divulgação/Redes Sociais
Divulgação/Redes Sociais

O Ministério das Relações Exteriores da Ucrânia rejeitou a declaração do presidente brasileiro Lula da Silva, que disse que os EUA "incentivam a guerra".

 

Isto foi afirmado pelo porta-voz do Ministério das Relações Exteriores Oleg Nikolenko.

Segundo ele, a Ucrânia acompanha com interesse os esforços do líder brasileiro para encontrar uma solução para o fim da guerra. O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores observou que a abordagem, que equipara vítima e agressor, e acusa os países que fornecem ajuda militar de encorajar a guerra, não corresponde à realidade.

 

"A Ucrânia não precisa ser convencida de nada. A guerra de agressão está sendo travada em solo ucraniano e está trazendo sofrimento e destruição. Mais do que ninguém no mundo, lutamos pelo fim da agressão russa com base na fórmula de paz proposta pelo presidente Zelensky", escreveu Nikolenko no Facebook.

 

O diplomata confirmou o convite de Lula da Silva à Ucrânia para conhecer, aprender sobre o país e ai sim entender as razões e a essência da agressão russa e suas consequências para a segurança global.

 

Recorde-se que anteriormente o Presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, defendeu o fim da guerra da Federação Russa contra a Ucrânia, mas ao mesmo tempo  sugeriu que "talvez a Crimeia não seja discutida" ao contrário do futuro do resto dos territórios ocupados pela Rússia . Ele deixou claro que planeja discutir pessoalmente com o líder chinês Xi Jinping a proposta de "renúncia" da Ucrânia à Crimeia ignorando completamente a soberania territorial do país alem da violação da carta da ONU pela Russia. O que ele acharia de devolver à Bolivia o Estado do Acre ? 

 

"Putin não pode tomar o território da Ucrânia. Talvez possamos discutir a Crimeia. Mas o que ele apreendeu adicionalmente, ele deve revisar", disse o presidente, acrescentando que o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelenskyy, "não pode querer tudo" porque "o mundo precisa de paz".

 

Posteriormente, o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Oleg Nikolenko, comentou esta declaração, destacando que a  Ucrânia aprecia os esforços do presidente brasileiro para encontrar uma solução para impedir a agressão russa, mas não comercializa seus territórios .

 

Vale destacar que, anteriormente, o ministro das Relações Exteriores do Brasil, Mauro Vieira, afirmou que,  caso chegue ao país, o presidente da Federação Russa, Vladimir Putin, poderá ser preso em razão do mandado expedido pelo Tribunal Penal Internacional . Será?

 

Com informações da Agência PRM (UA)

Imagens de notícias

Tags:

Compartilhar

Comentários