Descobrindo a Verdadeira Velhice: Da Maturidade Tardia ao Declínio

Publicado por: Redação
22/03/2024 07:26 PM
Exibições: 180
Cortesia Editorial Freepik
Cortesia Editorial Freepik

O Relógio Interno: Os Segredos do Envelhecimento Celular

 

Pesquisadores da Universidade Stanford conduziram estudos revelando que, em média, os primeiros indícios de envelhecimento começam aos 34 anos, enquanto o auge da velhice se manifesta após os 78 anos.

 

Para determinar quando esse processo de envelhecimento começa, os pesquisadores não se basearam apenas na idade cronológica, ou seja, nos anos vividos. Em vez disso, eles analisaram os níveis de proteínas no plasma sanguíneo de mais de 4 mil indivíduos, com idades variando entre 18 e 95 anos.

 

Em um artigo publicado na revista científica Nature Medicine, os pesquisadores afirmam que o envelhecimento é um fator de risco significativo para várias doenças crônicas que afetam a expectativa de vida.

 

Os sinais visíveis do envelhecimento, como rugas faciais, cabelos brancos, diminuição da audição e visão, lentidão e, às vezes, incontinência urinária, tornam-se mais aparentes à medida que o relógio biológico acelera. No entanto, os pesquisadores argumentam que esse processo começa internamente muito antes, por volta dos 34 anos, continuando até aproximadamente os 60 anos, definindo a fase adulta.

 

Dos 60 aos 78 anos, ocorre uma fase de "maturidade tardia", seguida pela velhice após os 78 anos, momento em que a pessoa é considerada "velha".

 

À medida que a idade cronológica avança, os níveis de 373 proteínas no plasma sanguíneo diminuem significativamente, muitas vezes interrompendo sua produção, devido à perda de capacidade de reparação do DNA.

 

A idade biológica foi calculada através da medição dos níveis de 3 mil proteínas em 4200 pessoas de diferentes faixas etárias. A partir das proteínas mais comuns, os pesquisadores identificaram 373 delas cujas alterações estão relacionadas ao processo de envelhecimento.

 

Tony Wyss-Coray, professor de neurologia e um dos autores do estudo, destaca que mudanças substanciais nos níveis relativos dessas proteínas indicam mudanças em nós mesmos, o que torna essa uma maneira segura de rastrear as diferentes etapas da vida de uma pessoa.

 

Além disso, os pesquisadores desenvolveram um algoritmo de inteligência artificial capaz de avaliar a idade biológica de cada órgão de um indivíduo e estimar o risco de falha desses órgãos

 

.Espera-se que essa abordagem permita intervenções precoces para melhorar a qualidade de vida das pessoas à medida que envelhecem, prevenindo o surgimento de doenças associadas ao envelhecimento.

Compartilhar

Vídeos relacionados

Comentários